Costumes passados de geração em geração

Por: Pâmela Lauchner Caporalli

Foi-se o tempo em que o rádio e a televisão só mostravam músicas tradicionalistas e clássicas. Com o avanço das tecnologias, novos meios de comunicação surgindo e o avanço da internet banda larga, novos ritmos musicais veem surgindo a todo o momento. Vivenciamos hoje a pluralidade de gênero e expressão tanto nos estilos musicas quanto nos costumes diários.

O estado do Rio Grande do Sul vem mantendo as tradições gaúchas apesar dos tempos modernos. Ao definir o que é a sua própria cultura, percebemos que não há fuga aos estereótipos, como o hábito de tomar chimarrão, o churrasco e a pilcha (indumentária específica dos gaúchos). Sendo que de acordo com o último sendo do IBGE, de 2016, o estado, possui uma população de 11.286.500 pessoas em uma área de 281.731,445 quilômetros quadrados, distribuídos em 497 municípios.

A cultura gaúcha é composta de um misto de influências de outras várias culturas, como a espanhola, a indígena, a portuguesa, a negra, entre outras. De acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais, que alertam para as manifestações de discriminação social, racismo e discriminação étnica por parte de professores, equipe escolar e alunos (ainda que de forma inconsciente e involuntária), trabalhar as mais diversas culturas nas escolas, é fundamental para o desenvolvimento do ser humano. Pois, segundo este documento de 1997, a página 15 afirma que: “esse é um trabalho que, embora complexo, pode ser prazeroso e motivador na sala de aula, por falar de perto da realidade de vida daqueles que ali ensinam e aprendem”.

Nesse sentido, a escola Municipal de ensino Fundamental Christiano João Smidt, do município de Rio Padinho, interior de Santa Cruz do Sul, este ano está trabalhando com os alunos do Pré ao Nono ano, a importância da cultura gaúcha. “Nós somos diferentes, queremos que nossos alunos tenham uma educação de qualidade, não apenas no conteúdo curricular, mas também na cultura, na diversidade, resgatando nossas tradições e costumes”, afirmou o diretor da escola Irineu Muller.

Com o projeto intitulado “Orgulho de ser gaúcha”, a instituição que abriga atualmente 315 alunos, tem o objetivo de transmitir os princípios básicos do que é se sentir gaúcho. Onde, ainda de acordo com Irineu “ser gaúcho está muito ligado à coragem com que encaramos os problemas, a forma como somos amigos dos nossos amigos e o orgulho que sentimos por fazer parte desse estado, por nascer aqui”.

Com o objetivo de resgatar a cultura, diante da sociedade na qual vivemos, que afeta e modifica nossos hábitos, tradições e modo de trabalhar e aprender, devido ao surgimento de novas tecnologias de informação e comunicação, a vice- diretora da escola Simoni Trarbach, afirma que: “consideramos muito importante que os alunos conheçam os principais fatos históricos do nosso estado, bem como os grandes nomes da música, literatura e os órgãos oficiais que cultivam e regulamentam a prática tradicionalista, pois, dessa maneira iremos formas jovens críticos, conscientes e ativos na sociedade”.


Atividades

Ao longo do ano, os alunos das séries inicias (do Pré ao Quarto ano) vêm aprendendo sobre as danças típicas do estado, sobre as lendas e o folclore, sobre as músicas, o significado das cores presentes na bandeira, os brinquedos tradicionais, sobres os CTGs, as vestimentas e o Hino Rio Grandense. “Nós trabalhávamos muito pouco a nossa história e cultura, muitas vezes apenas em decorrência do 20 de setembro. Realizando esse projeto, pude perceber que os alunos estão gostando de conhecer as suas origens e tradições”, frisou a professora de História Adriana de Andrade.

Já os alunos das séries finais (do quinto ao nono ano), vêm trabalhando sobre a simbologia da cultura gaúcha, o uso do gauchês, a formação histórica e cultural do estado, a formação do Estado e de fronteiras, a organização socioeconômica, os sete povos das missões, a Revolução Farroupilha, as representações ficcionais do gaúcho na literatura e também a importância da religião na formação do Estado.

“Estou adorando trabalhar esse tema aqui na escola, pois é muito interessante estudar sobre o nosso estado, tradição e cultura. Descobri que sou bom em desenhar e acho importante conhecer a história dos nossos antepassados e de como a cultura de perpetua.” Destacou o aluno no 6 ano, Felipe Gabriel Gass, de 11 anos.


Importância da cultura

De acordo com Adriana, a cultura é uma soma das tradições, dos costumes e dos valores de uma sociedade, que é passado de geração em geração. Sendo então um modo do indivíduo ser e também de pertencer a um determinado local, grupo e povo. “Dessa forma, por meio dos grandes nomes de artistas do estado, os alunos conseguem associar melhor fragmentos da cultura associando a pessoas as quais eles conhecem o trabalho e admiram”, completa a professora.

Desta maneira, vai se construindo a identidade cultural de um povo, nesse caso do projeto da escola, o do Rio Grande do Sul, em diferentes níveis e aos poucos se forma a consciência do povo. “Somos um povo especial, pois cultivamos mesmo sem nos darmos conta às tradições da nossa terra”, salientou Simoni.

E como bem elencou Francisco Pinto Da Fontoura e Joaquim José De Mendanha, no Hino Rio Grandense “Sirvam nossas façanhas, de modelo a toda Terra”.

Confira mais depoimentos: 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s